Um objeto ou uma superfície expostos a diferentes fontes de luminosidade são percebidos visualmente em diferentes tonalidades. Essa variação está relacionada com as diferentes capacidades das lâmpadas de reproduzirem diferentemente as cores dos objetos. Desse fenômeno assume-se que sem luz não há cor. À capacidade da luz incidente em reproduzir cores, adotou-se o conceito de REPRODUÇÃO DE COR e uma escala qualitativa de 0 a 100, ou índice de reprodução de cores (IRC).

Obviamente o índice de reprodução de cor possui uma relação direta com a reprodução de cores obtida com a luz natural. A luz artificial, como regra, deve se aproximar ao máximo das características da luz natural (referência 100), a qual o olho humano está naturalmente adaptado. A percepção mais correta das cores é aquela que temos quando colocamos um objeto sob o efeito da luz natural.

O IRC é dado através de um método internacionalmente aceito e determinado pela Commision Internacionale d’Eclaraige (CIE). Através do método CIE, mede-se a luz da fonte comparando-a com a luz do dia. Coloca-se a luz a ser testada sob o efeito de 8 cores, mede-se o desvio para cada cor e dá-se um valor em percentagem. Quanto maior o desvio, menor o índice.

Os índices de Reprodução de Cor (IRC)são assim classificados:

  • 50-80: reprodução de cor razoável
  • 80-90: reprodução de cor boa
  • 90-100: reprodução de cor muito boa
Projeto Luminotécnico em Santos | São Vicente | Guarujá | Bertioga | Cubatão | Praia Grande | Primor Iluminação

Projeto Luminotécnico em Santos | São Vicente | Guarujá | Bertioga | Cubatão | Praia Grande | Primor Iluminação

2018-04-26T09:54:51+00:00